• Blog,  Entrevistas,  Interviewed,  News,  Português

    Entrevistado na revista Descendências

    paulo da costa entrevistado em português na revista Descendências. Uma voz recente, graficamente bonita e importante divulgadora da cultura lusófona em todo o mundo. Inclui artigos de muito interesse sobre o escritor Fernando Namora, assim como uma entrevista alargada com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva e muito, muito mais. Delicie-se aqui… https://descendencias.pt/paulo-da-costa/ a r t e s e a r t i s t a s L USOS paulo da costa Nasceu em Luanda, cresceu em Portugal, fez a sua circum-navegação pelo mundo e decidiuficar a viver no Canadá. Foi por causa do seu en-contro com o urso, que decidiu ficar a viver no Canadá? Já agora…

  • Entrevistas

    Satúrnia

    ENTREVISTA A PAULO DA COSTA Paulo da Costa é autor do livro “The Scent of a Lie” Depois de conceder esta entrevista, foi galardoado com o prestigioso “Commonwealth Writers Prize 2003 (Best first book)-Caribbean & Canada Region” Satúrnia – Em primeiro lugar gostaria que nos falasse um pouco de si, pois está um pouco arredio daquilo a que se chama a Comunidade Luso-Canadiana. Quem é, como veio parar ao Canadá, o que o faz escrever? Paulo da Costa – Nasci em Luanda, Angola e aos cinco anos de idade os meus pais regressaram a Portugal. Vivi a minha meninice e adolescência em Vale de Cambra, na Beira Litoral. Naquela época,…

  • Entrevistas

    Esquina Do Mundo

    – entrevista com Luís Filipe Ferreira Entrevista publicada no primeiro numero da Revista Literária Esquina do Mundo do Centro de Estudos Ferreira de Castro.   O primeiro livro aos 37 anos. Quais as razões desta demora? O fruto maduro é mais saboroso. “The Scent of a Lie” foi muito bem recebido pelo mundo literário canadiano e não só. Fale-nos um pouco sobre isso…Sei que não estava à espera de uma recepção tão calorosa… Sim, o livro foi calorosamente recebido tanto pelo público leitor como pela critica literária canadiana. As recensões são unânimes em considerar o livro e a escrita como uma lufada de ar fresco no mundo das letras canadianas.…

  • Blog,  Entrevistas,  Interviewed,  Interviews - S&L,  News

    At Home in Two Cultures

    A citizen of the world examines his multicultural identity paulo da costa, in conversation with Fernanda Viveiros In the words of Saint Augustine, “The world is a book, and those who do not travel read only a page.” It could be said that writer paulo da costa has read many pages since immigrating to Canada in the late 1980s. Born in Luanda, Angola, and raised in Portugal, paulo has traveled throughout Europe and Brazil, lived in Calgary and on Cortes Island, and recently touched down in Silverton, a tiny hamlet in the Kootenay mountains. Now settled in Victoria, he is preparing to leave for a month-long stay in Portugal where…

  • Entrevistas

    De Calgary com sabor (e saber) português

    De Calgary com sabor (e saber) português Um novo Livro com “raízes” portuguesas Fernando Cruz Gomes “The Scent of a Lie” é um novo livro do escritor luso-canadiano Paulo da Costa, cujo lançamento foi agora feito pelas Ekstasis Editions, em Victoria, BC..”The Scent of a Lie”, escrito em inglês, contém um conjunto de catorze contos entrelaçados que  decorrem numa vila fictícia situada no Norte de Portugal. Paulo da Costa entende a vida como “uma marcha rumo a uma maior perfeição” que se atinge, talvez, “trabalhando, trabalhando muito”. O que o faz andar é, afinal, “acreditar numa visão do mundo e da condição humana plenas de esperança, uma visão que vive…

  • Entrevistas

    Voz do Caima

    É português, escritor, radicado no Canadá. No nº 4 de VOZ DO CAIMA foi apresentado aos nossos leitores, assim como o seu conto “Rosas, Lírios e Crisântemos”   Aproveitando uma curta estadia em Terras do Caima, Paulo Costa concedeu-nos a entrevista que a seguir transcrevemos.     Carlos Moura (C.M.) Começando pelas raizes, o Paulo Costa nasceu em Angola e veio viver a infância em Vale de Cambra. Fixou-se, entretanto, no Canadá. Tem saudades de Vale de Cambra?   Paulo Costa (P.C.)  Sim, de Vale de Cambra dos anos 70, um Vale de Cambra bucólico em que o Caima serpenteava ainda verde e límpido. Lembro-me dos meus anos de criança…