sem raízes

 
 sem raízes
 
I.
plantas do pé sem raízes
solidamente assentes
entre árvores de unha-de-cavalo
 
o peso do corpo
cunha a sua própria cama
 
aí a chuva se congregará
 
 
 
II.
quente e macia
a terra é a pele amante
 
que recorda o meu peso
após a partida
 
 
(…)
excerto                         ©paulodacosta
de:  notas de rodapé,  LPD 2012
Livro ou ebook vendido pelas Livrarias da Amazon nos EUA GB Espanha Alemanha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
This entry was posted in Poesia and tagged . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.