Antologia – Avós: Raízes e Nós

O meu texto, As Velas de Novembro, foi incluído na Antologia: Avós: Raízes e Nós, uma obra Comemorativa do Dia dos Avós e publicada em Julho de 2020. A antologia foi selecionada pela Aida Baptista, Ilda Januário e Manuela Marujo

Excerto

“…

Encontrávamo-nos em Novembro, o mês mais triste, decorado de nuvens cinzentas a lavar o mármore dos finados. As mil e uma velas enviavam as suas tranças de fumo para o além, e somente as flores iluminavam a terra, apesar das comovidas preces dos crentes a querer apaziguar a dor. Não obstante os cravos e os crisântemos, o céu e a terra permaneciam encharcados de sombras.

Sob o teu sorriso sépia jaziam as datas do nosso desencontro: 3 de abril de 1915 – 11 de maio de 1958. Eu, mais terrestre que a alva e altiva cruz que te guardava a eternidade, tentava imaginar-te em movimento: os teus braços a enlaçar-me, como que a rendilhar a toalha de linho que ainda embeleza a nossa mesa na Páscoa, ou a coser os vestidos de namoro da minha mãe; por entre suspiros e rezas pedia-te histórias que me pintassem um retrato de algo que me faltava, para aliviar as salas mudas na companhia das raposas, agora também a fazer de tapete. Diziam que tinhas a pele mais macia que a seda que vestias, mas os nossos rostos nunca se tocaram, e assim, eu enroscava o meu lenço pelos dedos, enquanto balbuciava as preces que se juntavam ao murmúrio ondulante das gentes.

…”  excerto de paulo da costa

This entry was posted in Blog, Crónicas, Ensaio, In Translation, News, Português and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.